quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Resenha: sombra "Lavender Fog", Mary Kay

Já faz um tempinho que tenho essa sombra mas tinha esquecido de fazer resenha dela. Ela até já tinha entrado nos "favoritos de julho".

Antes que vocês me perguntem, até pouco tempo atrás as minhas cores favoritas de sombras eram marrom, bege e taupe. Mas não sei o que deu em mim que de repente comecei a gostar de lilás, ameixa e dourado. Era do básico e comecei a me tornar uma fã de cores. Antes eu só fazia maquiagens neutras, hoje eu já uso verde, azul, roxo mais facilmente.

Quando a consultora da Mary Kay que eu conheço veio aqui em casa e eu enfiei o pé na jaca comprando um monte (como a base Timewise Matte e outras coisinhas que eu mostrei nos "favoritos de julho" e em outros posts), ela me mostrou as sombras e a primeira que eu adorei foi a Lavender Fog.



A embalagem das sombras da Mary Kay é de plástico, bem simples, já que a intenção da marca é que elas meio que sirvam de "refil" porque eles vendem uma paleta magnética (Renata explica isso lá no post dela também), mas mesmo a embalagem sendo simples, ela é resistente. Vem 1,4g e paguei R$21.

A cor da Lavender Fog é um lilás claro frio meio puxado para o cinza/taupe, acho que só assim dá para explicar.



Fiquei bem impressionada com as sombras da Mary Kay. Já tinha lido muitas resenhas positivas, principalmente da Renata do Conversa de Beleza, daí terminei comprando. Elas são bem macias, não esfarelam, esfumam bem e são pigmentadas. Não sei dizer se elas acumulam porque todas as vezes que eu a usei, estava usando um primer por baixo (o Painterly ou o Primer Potion).

Tenho gostado muito de usá-la esfumada no côncavo com o Painterly como base. Já faz umas duas semanas que fiz um "degradê" com ela e a sombra ameixa que vem na paleta da Sleek.

Já tenho outras sombras da marca na wishlist, como a Raisin e a Hazelnut.


Lavender Fog sendo usada na foto 1 e 2.
Prós:
• Boa opção "nacional" (ah gente, eu já considero a MK uma marca brasileira porque é fácil de encontrar e os preços são bons);
• Sombra de ótima qualidade, macia, pigmentada e esfuma bem;
• Preço justo;
• Para quem quer uma sombra colorida, mas não muito chamativa, a Lavender Fog é uma opção.


Contra:
 Não é bem um contra, mas às vezes eu penso que a embalagem poderia ser melhor (mas aí depois eu penso que poderia fazer com que o produto ficasse mais caro e deixo pra lá).

Decidi dar cinco corações pra Lavender Fog pela qualidade impecável e porque a cor é bem bonita.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Resenha: Smoked Palette, Urban Decay

Só depois de ter a Smoked Palette foi que eu entendi o porquê das paletas da Urban Decay serem tão amadas e idolatradas. Não me perguntem o motivo, mas quando lançaram a Naked, eu também fiquei tentada, mas depois foi algo que passou e aí a Makeup Academy lançou o seu dupe da paleta queridinha e eu fiquei satisfeita com ela e não senti necessidade em comprar outras sombras ou paletas da Urban Decay... Até que eu vi as resenhas da Smoked Palette pipocando por aí.

Estava pronta pra comprar quando a Sephora deu o desconto de R$75 no preço original dela, só que o namorado quando soube do desejo que eu tinha pela dita cuja arrematou e me deu de presente de aniversário de namoro. ♥ Então, como fui eu que comentei do desconto, sei que ele pagou R$160 nela. Atualmente ela custa R$235.





A embalagem dela é bem chic e prática: é um estojinho resistente forrado com um tecido (não me perguntem qual tipo porque eu não sei) e com um zíper para abrir. Por dentro tem uma espécie de papelão resistente e um espelho que é uma mão na roda pra quem quer se maquiar e está sem um espelhão.


Fora as sombras, a Smoked Palette também vem com um mini Primer Potion (o "original"), um lápis 24/7 na cor "Perversion" e um livrinho explicativo de como fazer os smokey eyes. Até agora não usei nem o Primer Potion e nem o livrinho. 


Cada sombra tem 0,8g (a nível de comparação, as sombras da M.A.C. tem 1,5g), o lápis é no tamanho original, ou seja, 1,2g e a miniatura do Primer Potion tem 3,7mL (o full size vem com 11mL). Se a gente for fazer as contas dividindo o valor do produto por cada item (10 sombras + miniatura do PP + lápis), cada um sai por R$13,33.




Na minha opinião a seleção das cores foi perfeita, dá pra agradar a todo mundo porque tem cores básicas neutras e cores mais "festivas" ou escuras. Além disso tem sombras mattes e sombras com brilho/shimmer/cintilância.


A textura das sombras é muito boa, achei elas macias e fáceis de esfumar, com ou sem primer. Também não achei que elas esfarelam muito, mas como as cores são fortes, eu tentava tomar cuidado dobrado para não ir sombra pra tudo quanto é lado. Não tive problemas com acumulo nas dobrinhas ou "perda" de cor ao longo do dia.


As cores que eu menos uso são as duas primeiras, a Kinky e a Freestyle. Ambas são mattes, mas a Kinky é aquela sombra bege opaco bem clássica que a gente usa para "iluminar" abaixo da sobrancelha, já a Freestyle é a sombra que eu não entendi o motivo dela estar na paleta já que ela é uma sombra clara, matte porém mais puxada pro pêssego (uma coisa meio cor NW15 ou 20 da M.A.C.), acho que para usá-la abaixo da sobrancelha não combina muito.


Tirei foto delas separadas porque quando eu tentei fazer swatch delas no braço, mal aparecia.



Freestyle e Kinky, respectivamente
As sombras da primeira fileira são as que eu chamo de mais "básicas". Tem dois tons claros matte (Kinky e Freestyle), um taupe frio claro com acabamento cintilante/metálico - gente, eu não sei diferenciar, desculpa a ignorância - (Mushroom), um marrom escuro matte (Backdoor) e um preto, pretíssimo matte (Blackout).


Pode clicar que a foto aumenta
As sombras da segunda fileira são as mais "festivas" ou escuras, na minha opinião, é o diferencial da paleta. Tem um marrom com fundo quente e acabamento metálico (Barlust), um roxo com brilho/cintilância que é lindo e muito diferente (Rockstar), um azul meio royal (apelidado carinhosamente de azul cor de TARDIS, quem assiste Doctor Who saberá do que eu estou falando) lindo também com cintilância porém não tem uma pigmentação lá tão boa (Evidence), uma sombra meio verde-meio grafite/cinza que engana por causa do fundo (essa é a parte meio grafite/cinza) e dos brilhos (essa é a parte do verde) mas quando esfumada puxa mais pro grafite (Loaded) e uma cinza/grafite escuro com muito brilho (Asphalt).


Sim, a foto aumenta
Preciso comentar do lápis? O "Perversion" é um preto bem preto e cremoso, seca rápido e tem uma duração fora do comum. Assim que seca é impossível de esfumar. Ele fica intacto! Só depois de testá-lo foi que eu entendi o auê que todo mundo que faz depois que usa o dito cujo.

Vou fazer os prós e os contras mas estou com medo de ser tendenciosa...


Prós:

• É quase 3 produtos em 1: vem 10 sombras, lápis de olho e um mini-primer;
• Embalagem é excelente para carregar na bolsa ou levar em viagens;
• Variedade de cores, vai desde do neutro básico matte até um azul com cintilância;
• A qualidade das sombras é maravilhosa, a textura é boa, não senti que esfarelam e esfumam muito bem.

Contra:

• O preço dela fora da promoção é alto, R$235;
• Talvez não seja uma boa compra para quem não curte muitas cores, porque aí só termina usando cinco ou seis sombras de uma paleta que vem dez sombras.


Decididamente eu dou cinco corações pra Smoked! Se tivesse dez corações, eu daria, hahaha!


♥♥♥♥♥

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Batom 330 da Linha Intense (Boticário), um vermelho matte baratinho

Um pouco mais cedo, postei lá na página do facebook a foto da maquiagem que estou usando hoje. Enquanto espero a minha carona chegar, decidi mostrar um pouco mais dele pra vocês.

É o 330 da linha Intense do Boticário! Dizem por aí que ele parece com o Ruby Woo da M.A.C., mas vou ficar devendo comparação porque não tenho o dito cujo.



Paguei R$16 nele. Estranhamente preferia a antiga embalagem da Intense, essa não me agrada muito, acho que é por conta desse corte em cima.

O vermelho do 330 é mais aberto que o do Russian Red (M.A.C.). No quesito do acabamento, eu acho um batom confortável de usar, é parecido com o acabamento matte da M.A.C. A duração dele é excelente! Já fiquei quatro horas com ele intacto, só que depois eu comi ele saiu no centro dos lábios. Mas aí é só retocar...



Ele se diz um batom de "cor intensa" e é verdade, mas para atingir o vermelho da foto, eu precisei passar umas três camadas. Aí sim, ficou do jeito que eu gosto!

No início, sempre optava em usar o pincel para lábios ao aplicar algum batom vermelho, mas hoje em dia eu comecei a me acostumar e aplico direto da bala. No caso do 330, senti que quando errei um pouquinho, foi meio chato de consertar, mas isso acontece com qualquer batom vermelho, principalmente se for matte.

Enfim, acho o 330 um excelente batom! A qualidade é excelente e o preço também. Para quem gosta de batons vermelhos e mattes (ou até mesmo quem quer conhecer o acabamento), o 330 é uma boa opção.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Cheiros favoritos

Cada dia que passa eu me surpreendo com o que a falta de assunto faz... Nunca imaginei que algum dia iria postar sobre perfumes, mas cá estou para falar dos meus perfumes (e um hidratante) favoritos.

Meu gosto por perfumes é meio estranho... Eu detesto perfumes doces demais, que tenham notas de baunilha (apesar de amar o Daisy, da Marc Jacobs e o Poême, da Lancôme), por exemplo, o perfume que eu mais odeio, o Angel, na minha opinião, tem notas doces demais e me deixa com uma dor de cabeça daquelas.


Também tem aqueles perfumes que eu odeio mas porque me lembram a algo ou alguém, um exemplo deles é o Azzaro, ahahaha! Gostava tanto, mas depois criei birra.


Vocês vão perceber que eu adoro perfumes mais frescos, com notas mais cítricas e que sejam um pouco amadeirado. Também vão notar que eu sou péssima pra descrever cheiros, hahaha!




Da esquerda pra direita: Versace Versense, Poême da Lancôme, hidratante Lima e Tangerina da Natura, Sakura No Ki da Empório Body Store, Aramis, Miss Dior Chérie L'Eau.


O Versace Versense é o típico perfume que eu amo: cítrico com um toquezinho amadeirado e no final tem um cheiro de alguma flor nele, acho que é jasmim (amo!). Lembrando que por ser um Eau de Toilette a duração dele não é de horas e horas, mas ainda sim, eu gosto, ele vai ficando mais fraco com o passar das horas.


Eu nunca fui muito fã dos perfumes da Lancôme, eu sempre achava eles fortes demais pro meu gosto, até que conheci o Poême e adorei. O Poême é mais floral e tem flor de baunilha, o que eu deveria odiar, mas acho que o jasmim que tem nele termina anulando o cheiro de baunilha que vem pra minha cabeça, hahaha! Ele tem notas de flores brancas e amarelas - não que eu saiba o que isso significa, mas, caso alguém saiba e se interesse. A duração do Poême é excelente por ser um Eau de Parfum.


O que falar sobre esse hidratante de Lima e Tangerina? Ele me dá uma sensação de frescor! Eu não me sinto glamourosa, mas sim muito confortável. E sim, o cheiro dele é bem cítrico, mas diferente de todos esses perfumes que eu comentei. Acho que ele foi de edição limitada de verão.


O Sakura No Ki é o perfume que mais foge do meu gosto habitual. Ele é doce e bem floral. Já passei alguns meses sem usar porque estava enjoada do cheiro, agora nem tanto. A fixação dele não é lá essas coisas, mas eu até que tenho gostado dele. E sim, ele cheira a flor de cerejeira (outro cheiro que eu enjoei).


O Aramis... Na minha opinião é o melhor perfume masculino de todos. É bem amadeirado, tem um toque meio picante (seria essa a palavra certa? não sei) de canela. E sim, eu uso, principalmente quando estou enjoada de todos os meus perfumes (às vezes eu passo por uma fase estranha assim), mas como ele é forte (e bem masculino, eu diria) e tem uma boa duração, apesar de ser um Eau de Toilette, eu só dou uma borrifada de longe visando pegar a área do pescoço e colo. Quando o meu namorado vem e termina tomando banho aqui em casa, eu saio borrifando Aramis nele e passo o dia todo cheirando, hahahaha (louca, louca, eu sei).


Infelizmente o Miss Dior Chérie L'Eau foi descontinuado (por que, Dior, por que?!). Ele me lembra um pouco o Versace Versense, mas acho ele mais floral e bem menos amadeirado. A nota inicial dele é cítrica e eu sinto também um toque floral, leva alguma coisa de laranja. É um perfume leve e bem fresco, se não tivesse sido caro, usava no dia-a-dia, mas quando descobri que ele foi descontinuado, uso bem pouquinho (apesar do vidro estar bem cheio) porque morro de medo de acabar!


Qual é o perfume favorito de vocês? Vocês preferem cítrico, floral, frutal, amadeirado...?

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Resenha: CatChu Wink Tony Tint "Red" e "Cherry Pink", TonyMoly

Semana passada chegou uma caixinha dos Correios que me deixou muito feliz, nela tinha esses dois produtos.

Antes de vocês perguntarem, sim, eu tinha o blush líquido do Boticário, mas em setembro ele venceu. Daí para não arriscar, decidi jogar no lixo. Antes disso, eu já havia lido sobre essa tinta da marca coreana TonyMoly lá no blog da Gleici, o Desocupada é a Mãe.


A TonyMoly fabrica três cores dessa tinta: "Red", "Cherry Pink" e "Orange Chacha". Terminei comprando logo duas, a "Red" e a "Cherry Pink", porque fiquei muito curiosa e o preço era bom.


Eu paguei US$10 nos dois, mas o valor unitário é US$5,58 (as cores Cherry Pink e a Orange Chacha, a Red sai mais cara, US$6,79). O frete é gratuito. Demorou 15 dias pra chegar. Para quem se interessar, eu comprei com esse vendedor e recomendo. Ele também me mandou três amostrinhas.


Agora vamos para mais detalhes do produto...



Sim, a tampa dele é de gatinho. Uma fofura só!
Infelizmente eu não sei dizer quantos mLs tem, mas acho que vem o suficiente para duas gerações da minha família. A embalagem é de um plástico resistente e o aplicador é de gloss, ou seja, é aquele aplicador de esponjinha.

Pelo que notei, o cheiro do produto depende da cor: o cheiro do Red é docinho, já o do Cherry Me lembrou cheiro de vinho. Não é nada absurdo, pelo menos eu não me incomodei. Quando eu apliquei nos lábios e nas bochechas não senti nada.


O que mais me impressionou nesse blush/lip tint/tinta foi a pigmentação. Achei ele bem mais pigmentado que o blush líquido do Boticário e isso resultou em "pele marcada" porque manchou, já que seca bem rápido.




Terminei não tirando fotos dele na bochecha porque ainda não peguei o jeito da aplicação, ou seja, sempre fica manchado o pontinho que eu faço na bochecha antes de espalhar o produto.


A duração dele é sinistra! Acho que só essa palavra que pode definir. Ontem foi o dia que eu mais deixei ele no rosto: passei sete horas com ele e quando cheguei em casa, ainda dava pra notar que eu estava "coradinha". E olha que ontem eu andei no sol, transpirei bastante, não usei primer ou matificante.




Como eu comentei, ele mancha rápido demais. Eis a prova na foto acima (a linha feita com o aplicador).


Prós:

• Para quem quiser um lip tint ou um blush líquido, o CatChu é uma boa opção por ser barata e um produto dois em um;
• Lógico que a tampa em formato de gatinho vai ser considerado um pró, mesmo que isso não influencie na eficácia do produto;
• Três opções de cores;
• Longa duração;
• Pigmentação extrema, nas bochechas só sai 100% com demaquilante.

Contras:

• Quem quiser comprar com esse vendedor, precisa ter cartão internacional e conta no Paypal;
• Mancha com facilidade, fazendo com que fique a marca do aplicador.

Como eu sei que isso de marca ou mancha (chamem do que vocês acharem melhor) é uma questão de "jeito", eu não vou descontar nenhum ponto. Então, eu dou cinco corações porque eu simplesmente amei esse produto e acho que vale muito a pena!

♥♥♥♥♥

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Comparação: Blot Pressed Powder da M.A.C. vs pó Stay Matte da Rimmel London

Apesar de não ter feito resenha de nenhum desses dois produtos, achei que uma comparação entre eles fosse uma ideia bacana. Não fiz resenha deles porque acho resenha de pó uma coisa meio estranha, principalmente os pós que eu escolho.

Quando compro um pó, o que busco é um acabamento opaco, matte, que ajude a segurar a maquiagem por mais tempo sem oleosidade. Se vier com um pouquinho de cor/cobertura, ótimo. E se for barato, melhor ainda.


A comparação que vou fazer é a de dois pós famosos que todo mundo que tem pele oleosa e se interessa por maquiagem já ouviu falar: o pó Blot Pressed Powder, da M.A.C. e o pó Stay Matte, da Rimmel (também conhecida como Rimmel London).




A embalagem do Blot é tipo a da Studio Fix, daquelas que abrem e tem um espelho e uma esponja. Como sempre, eu descarto a esponja. O da Rimmel é com uma tampa tipo de rosquear. Apesar da embalagem do Blot parecer mais resistente, o pó quebra com uma facilidade absurda. Quando estava usando o meu, ele caiu duas vezes e nas duas se quebrou inteiro e eu tive que recompactar. O da Rimmel se prova mais resistente nesse aspecto, já tive dois, o que acabou levou algumas quedas mas só tive que recompactar uma vez, quando ele tava no finalzinho levou uma queda e quebrou uma parte (esse da foto eu não tive que recompactar nenhuma vez até agora).


O Blot Powder tem 12g, já o da Rimmel tem 14g.


De acordo com a M.A.C. o Blot Powder é "um pó compacto concebido principalmente para controlar a oleosidade e reduzir o brilho da superfície da pele. Fixa a base, dá acabamento ao rosto sem adicionar cor ou textura. É indicado para utilização em situações profissionais para frequentes retoques. Blot Powder contém Mica e Sílica para absorver o excesso de oleosidade da pele e reduzir o brilho da superfície da pele." (retirado do site da Sephora - que é traduzido do site da M.A.C.).


Já a Rimmel diz que o Stay Matte "dá até 5 horas de controle de brilho com minerais naturais. Ajuda a minimizar a aparência dos poros. Dermatologicamente testado".


Analisando a lista de ingredientes dos pós, o da M.A.C. tem algo fundamental que o da Rimmel não tem: silica. Mas o da Rimmel também tem Mica, ingrediente que ajuda a conter a oleosidade.


Agora, as cores. Enquanto o Blot tem 5 opções de cores (Light, Medium, Medium Dark, Dark, Deep Dark), o Stay Matte tem 7 opções (Transparent, Sandstorm, Silky Beige, 11, 12, 18 e Nude Beige). A diferença é que para o Blot essa questão de cor não importa muito, já que ele não adiciona muita cor. Já para o Stay Matte, ele adiciona um pouco de cor, então, é bom analisar um pouco.


Sobre a textura, o da M.A.C. é um pó bem fininho, enquanto o da Rimmel é mais perceptível. Quando aplicado, o da M.A.C., como é mais fino, não dá pra notar que você usou pó, já o da Rimmel, dependendo da mão e do pincel, dá pra notar o efeito do produto.


Ambos são excelentes pós para aguentarem a oleosidade. Em mim, eles aguentam cerca de 3 ou 4 horas sem oleosidade muito evidente. Depois disso, é ladeira abaixo, ou seja, preciso usar um daqueles lencinhos que tiram brilho e passar uma camada de pó.


Agora uma questão importante: preço. O da M.A.C. no Brasil custa R$119 e nos Estados Unidos custa US$25 + impostos. Já o da Rimmel custa US$7,10 (na Asos), porém não vende no Brasil, o que dificulta para quem não gosta de pedir em sites do exterior ou não tem cartão internacional.


Qual dos dois eu prefiro? Sinceramente, eu gosto muito dos dois, acho ambos produtos excelentes. 


O Blot perde pontos comigo por conta da fragilidade e do preço. Já o da Rimmel perde pontos porque eu tenho que pedir online e esperar, e também o fato da aparência que ele fica na pele logo depois que eu aplico, ou seja, dá pra notar que eu passei pó (mas nada que uma borrifada de água termal ou uma mão leve e um pincel legal não ajudem). 


O Blot ganha pontos por ser fininho e quando aplico fica sutil o efeito "passei pó". O da Rimmel ganha pontos por vir mais produto, ser mais barato e resistente, além de ser tão eficaz quanto o Blot.


Vocês já testaram algum desses? Qual dos dois vocês preferem?

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Cosméticos favoritos: cuidados com a pele e olhos

Por um milagre (e por falta de assunto), finalmente estou escrevendo um post sobre cuidados com a pele!

Ultimamente eu tenho pesquisado mais cosméticos interessantes para as minhas necessidades do dia-a-dia. Como eu já comentei em algum post há muito tempo atrás, eu tenho pele oleosa por conta de problemas com os ovários, porém tenho dermatite no nariz devido a rinite alérgica. Minha pele é contraditória, eu sei. Então, eu procuro sempre usar hidratante e a noite, capricho mais no nariz.


Minha rotina é bem simples: pela manhã eu lavo o rosto com um sabonete próprio para pele oleosa (tenho usado o Effaclar para pele sensível, da La Roche Posay), passo um creme para a área dos olhos, depois passo o hidratante para o rosto, espero secar (o que não demora muito), passo o protetor solar e aí começo a maquiagem.


Já à noite eu demaquilo o rosto (vario muito de demaquilante. Estou acabando o demaquilante para rosto da Yes e uso o bifásico da Mary Kay, que eu não vou comprar novamente porque é caro pra caramba. Também uso muito óleo, tenho o da Bioré e também uso um óleo de amêndoas comum), lavo com o Effaclar, tonifico (uso o tônico para pele oleosa da Avon), passo um hidratante mais forte para a área dos olhos e finalizo com um hidratante no nariz por causa da dermatite. Ah, também uso um hidratante labial, mas não coloquei aqui no post.


Então, vamos aos meus produtos favoritos:



Hidratantes/creminhos para a área dos olhos
• Ultralight contorno dos olhos, Neutrogena: esse creme é uma aquisição recente. Eu terminei comprando porque o corretivo estava craquelando muito (e eu estou economizando o da Benefit). Ele é um creme bem levinho, fácil de espalhar e seca rápido. Não é tão hidratante quanto eu esperava, mas ele ajuda a espalhar os corretivos mais difíceis. Ele custou R$31 e vem 15g;

It's Potent eye cream, Benefit: ganhei uma amostrinha de 3g numa compra que fiz na Sephora. Ele é um anti-olheiras. É mais consistente do que o Ultralight, seca rápido mas eu não vi muita diferença nas minhas olheiras (sou péssima para notar, até porque as minhas olheiras dependem de vários fatores, entre eles a quantidade de sono que tive). Senti que ele é melhor que o Ultralight no quesito "aplicação antes do corretivo", facilita muito para espalhar corretivos como o Studio Finish. O problema dele é o preço: na Sephora custa R$169 e nem nos meus sonhos mais consumistas eu me vejo comprando o full-size desse creme.



Hidratantes faciais
• Ultralight hidratante facial FPS 30 (pele mista a oleosa), Neutrogena: se tem uma coisa que ganha pontos comigo é um produto para pele com fator de proteção solar alto, por isso comprei esse da Neutrogena. O que mais me impressionou foi que ele é o hidratante mais sequinho que eu já usei, nem espero após aplicá-lo para seguir para o próximo passo. É um hidratante meio grossinho, mas espalha muito bem. Vem 55g e eu paguei R$35;

• Capricho Gel creme hidratante facial FPS 12, Boticário: apesar de gostar muito desse hidratante, eu basicamente o abandonei depois de comprar o da Neutrogena. Ele é um gel, foi pensado para pele mais jovens e oleosas, tem FPS 12 e diz que reduz poros e oleosidade. A resenha dele está aqui.



Protetores solar
• Aqua Rich, Bioré: terminei comprando esse protetor por indicação de várias blogueiras que o amam porque ele é bem sequinho, sem cheiro e tem alta proteção. Também gostei muito dele e concordo com tudo que comentei acima. A textura dele é próxima a de um mousse e ele é ótimo para espalhar. Li em algum lugar que ele é mais fácil de remover do que os demais protetores asiáticos, mas não posso confirmar. Comprei ele no ebay e custou menos de R$30;

• Perfect Face Milk, Bioré: esse é, definitivamente, o protetor mais incrível que eu já usei. A textura dele é meio estranha já que ele é bem líquido, bem fluído, porém, ele seca muito rápido! Muito rápido mesmo! Além dele ser extremamente seco e dá impressão de que não tem nada no seu rosto. Tornou-se o meu protetor favorito. Acredito que para remover esse já seja preciso de um óleo. Também comprei no ebay e custou menos de R$30. Outro fato que vale a pena mencionar é que a embalagem dele é bem pequena, mas acho que rende bem;



Hidratantes/creminhos potentes (uso mais à noite)
• Nivea creme: preciso explicar alguma coisa? Acho o melhor hidratante de todos, tanto pra corpo quanto para rosto (quando a pele está ressecada). Uso muito na área dos olhos e no nariz, geralmente passo noite sim, noite não. Vende em farmácias e acho que custa menos de R$15 a latinha;

• Cicaplast Baume B5, La Roche Posay: conheci esse creme/balm/reparador/milagre através da minha dermatologista, que passou para a dermatite. Ela me deu umas amostrinhas e eu gostei tanto que comprei o grandão. Depois de muito tempo a base de pomada com corticoide, finalmente encontrei um creme que melhorou 100% a dermatite. A La Roche Posay diz que o Cicaplast é um multirreparador que dá pra usar em adultos e crianças, dá pra usar no rosto, corpo e nos lábios. Já testei em todas as partes e é ótimo! Agora se deu algum problema na pele, tipo mordida de mosquito (me coço toda!) ou queimadura, eu apelo pro Cicaplast. Também uso na área dos olhos para hidratar. Comprei por R$32 e vem 40mL.


Agora me digam: quais são os cuidados para a pele de vocês? Vocês já conheciam algum desses produtos?

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Resenha: batom LipSurgence Natural Matte Lip Tint "Envy", Tarte

Mais um post com título comprido.

Se tem um batom que eu desejava muito era esse. A Tarte não é uma marca muito famosa por aqui e talvez seja por isso que vocês vão estranhar o porquê de tanto desejo, mas o motivo é bem simples:





Para quem não sabe, essa é a cor do batom da Max do seriado 2 Broke Girls!

Sempre que eu assistia, achava lindo aquele batom meio vermelho, meio vinho escuro e matte. Depois de uma pesquisada no Google, descobri que o batom é o "Envy" da Tarte.




A embalagem dele é tipo essas de caneta, como os Chubby Stick da Clinique, Just Bitten Kissable da Revlon e as canetinhas da quem disse, berenice?, ou seja, não é necessário apontar, é só girar no fundo da embalagem. Ainda na embalagem, é informado que vem 3g de batom.


Infelizmente, só dá pra encontrar Tarte lá nos Estados Unidos (apesar de já ter visto os blushes da marca à venda em algumas lojas online que enviam para o Brasil). O preço das coisas da marca é um pouco salgado, por exemplo, esse batom custou US$24 + o valor dos impostos. Não chega a ser tão salgado quanto a Chanel, YSL, Dior e essas outras marcas high end.


Por que US$24 (mais taxas) em um batom? Para quem não sabe, os produtos da Tarte são todos cruelty free (ou seja, eles não testam em animais) e o LipSurgence é uma fórmula patenteada pela Tarte que tem ingredientes revigorantes para a pele (a tradução do que tem na caixinha é mais ou menos essa) como cera de carnaúba, vitaminas A e E, óleo de menta e extrato de coco. A fórmula é sem parabenos, óleo mineral, petrolatum, sulfato e fragrância sintética. Assim que você puxa a tampinha, já dá pra notar que tem menta no composição por causa do cheiro maravilhoso!


De acordo com o site da Tarte, a cor Envy é um "mauve berry". Mas eu acho esse batom meio mutante porque quanto mais você aplica, mais forte a cor fica. Além dessa mutação que depende da aplicação, a luz também faz com que o tom fique mais puxado para o vinho/ameixa ou para o rosado. Logo, acho que para ficar igual a cor da Max é necessário aplicar umas três camadas. Também é possível deixar a cor um pouco mais fraca, é só aplicar uma camada, só para manchar os lábios.



Pode clicar que a foto aumenta
Sinceramente, eu não tenho um batom igual a esse tanto em cor quanto fórmula. Ele é sequinho, mas não chega a ser difícil de passar, pelo contrário, é bem fácil passar porque ele desliza muito bem nos lábios. Sequer eu preciso passar um hidratante labial antes de usá-lo. E não é do tipo que se você errar vai ser impossível de corrigir. O acabamento dele é matte, mas a aplicação parece a de um batom com acabamento satin da M.A.C.

Outro ponto que me surpreendeu foi que ele não transferiu. Na primeira vez que usei, eu bebi um copo d'água, dei beijinho na bochecha da minha mãe e não vi sinal do batom em nenhum dos dois, ele continuava perfeito nos meus lábios! Só depois que eu comi, notei que ele saiu, mas tinha alguns vestígios dele na boca. Fora isso, a duração dele é excelente, como a de um batom matte da M.A.C.


Decidi fazer uma comparação de cores com ele:




Procurei na minha coleção alguns batons que poderiam ser parecidos, mas nenhum é 100% igual para chamarmos de dupe. O que achei mais parecido foi o "Rosette" da linha True Dimensions da Mary Kay, mas o acabamento dele é bem hidratante, mais translúcido e a cor puxa mais para o rosa.


Prós:

• Fórmula menos agressiva e ajuda a proteger os lábios;
• Cheiro maravilhoso;
• A aplicação dele não é seca como os do demais batons matte, também não resseca os lábios ou caso, ao longo da aplicação, você erre, não terá problemas para consertar;
• Não transfere.

Contra:

• Só vende nos EUA.

Não coloquei o preço como contra porque isso vai do bolso de cada um. Prefiro pagar os US$24 dele do que US$4 em um batom da Nyx, por exemplo, ou algum outro que eu sei que não vou gostar porque parece cera, é hidratante demais, tem cheiro ruim, tenho problemas com a aplicação, etc.


Decidi dar cinco corações porque eu amei esse produto e com certeza quando o meu acabar, eu vou comprar outro!



♥♥♥♥♥

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Resenha: blush Malve, quem disse, berenice?

No fim de agosto, fui com uma amiga curitibana a uma das lojas da quem disse, berenice? e ela me deu de presente esse blush (obrigada, Estela!).

Ela pediu para eu escolher uma cor e a que eu mais gostei foi essa, Malve. Dizem pela internet que ele parece com o Blushbaby da M.A.C., que como já comentei em um post anteriormente, eu estava em dúvida entre ele e o Douceur, mas terminei optando pelo segundo já que o Blushbaby me pareceu mais rosado.




A quem disse, berenice? tem duas linhas de blush: esses e o super-brilho, que são assados e como diz o nome, tem brilhos. Como me descobri uma fã de blushes matte, terminei optando por um.


A embalagem é bem bonitinha, é de plástico, compacta, fecha com facilidade e me parece segura. O blush tem 2g e custou R$31,90 (apesar de ter sido presente, eu sei o preço).


Quando a Renata fez a resenha sobre os blushes da quem disse, berenice? comentou sobre o custo x benefício, já que é um blush com apenas 2g e custa mais de R$30. Recentemente comparei o valor dos blushes da M.A.C. e o da quem disse, berenice? e o preço da grama era quase o mesmo. Os blushes da M.A.C. tem 6g e custam R$100, a grama sai por R$16,66. Os da quem disse, berenice? tem 2g e custam R$31,90, sendo assim, a grama sai por R$15,95.


A cor dele é neutra, tem um quê rosado mas não é nada muito gritante como outros blushes. Acho que eu poderia dizer que a cor dele é um rosa escuro, neutro e frio. Meio confuso, mas acho que é mais ou menos isso.



Nos dedos mal aparece.
A pigmentação dele é muito boa, acho que os blushes de cores mais fortes da marca tem que ser aplicados com cuidado. Como o Malve é uma cor mais neutra, eu passo do pincel direto para as bochechas e esfumo bem, já que eu quero uma cor bem suave para as maçãs do rosto.

Não achei que ele esfarelasse e a duração dele varia de mediana a boa, da última vez que usei, percebi que quatro horas depois ainda estava corada, mas não da mesma intensidade que quando apliquei.




Vale a pena comprar os blushes da quem disse, berenice? Depende. Se você procura ter variedades de cores e prefere que venha poucas gramas de blush, sim. Mas se você, assim como eu, tenho uma preferência por determinada cor e já tem outros blushes com tonalidades parecidas, acho que vale mais a pena investir num blush maior e que a quantidade de produto que vem seja correspondente ao valor. Enfim, essa a minha opinião, já que eu investiria num blush mais caro se eu realmente amasse a cor e num blush mais barato se eu quero ter vários tons.


Prós:

• Julgo que o valor cobrado pela marca é compatível com a qualidade e quantidade que vem de produto;
• Variedade de tons;
• Boa textura e pigmentação.

Contra:

• Quando fazemos o cálculo do valor de gramas, termina saindo o valor de um blush importado comprado no Brasil.

Eu decidi dar quatro corações porque é um bom produto, só tirei um pelo motivo explicado no "contra".



♥♥♥♥